sábado, 21 de abril de 2012

O "Debate" de Demêncio e convidados



Dário José

Demêncio muito atrasado chega ofegante à casa da “irmã” Fan Átika, local escolhido para o “debate”.  Estão presentes na residência apenas três “debatedores” sentados à mesa:  Discordêncio, visivelmente irritado, olhando o tempo todo para o relógio, Cristiano Orto, que calmamente espera  e Fan Átika, a anfitriã, que  de repente  fica de joelhos  e começa a orar em voz alta: 

- Oh, Deus! Meu Deus, me dá sabedoria para eu saber falar hoje... Prove para todos que tu és na minha vida... Mande anjos para nos guardar...
Demêncio, bruscamente interrompe sua oração:

- Ismã  Fanlática num é hora de orar, levanta mulé... Istamos pra cumerçar o debate...

Os dois sentados à mesa, Cristiano Orto e Discordêncio, se entreolham sem nada entenderem. De repente, chegam Eloquêncio e Farisêncio. Os dois, coincidentemente, viajavam num mesmo avião. Eloquêncio vem cumprindo uma exaustiva “agenda”, pregando todos os dias em várias cidades do Brasil e faz um mês que não vê a esposa nem os filhos.  Farisêncio, também não é muito diferente, pois para propagar a sua "visão sacerdotal de Arão” e a “visão apostólica de Pedro”, tem viajado do Oiapoque ao Chuí, e até para fora do país, junto às suas igrejas da “Obra Sacerdotal Apostólica”.   Demêncio os recebe e já começa a reclamar:

-  Istamos atrasados para o “debate”... Vamu cumeçar! Mas Fan Átika interrompe, dizendo:

-  Vamos orar...precisamos de proteção... Mas é interrompida também, por Eloquêncio:

-  Meus diletos e denodados irmãos, se faz necessário orarrrrmos! Ontem eu preguei numa cruzada para 3 mil pessoas e foi uma bênção! Minha voz está rouca,  mas ainda tenho forças para orarrrr: Amantíssimo, Grandíssimo, Infinito e Portentoso Deus, que estás no mais elevado dos tronos. Na tua auspiciosa presença nos encontramos...  Depois de alguns minutos de oração, Demêncio toca nele e diz:

Pur favor, hoje num é dia de circo de oração... Vamu cumeçar o debate?  Todos sentam, menos Demêncio, que começa  a “discursar":

- Na carta do apostu Paulo, II dos Corintus, capitu 3 e velso 6, diz: "O qual nos habilitou para semus ministros de uma nova aliança, não da letra, mais do ispírito , proque a letra mata, mais o ispirito vivifica". Eu convoquei vocêis hoje aqui, proque preciso mi defender. Sempre que digo que, hoje na Nova Aliança, num faiz  mais necersário  lemos a Bibla, sou muito criticado. Mais, com essi velsícu que li, o apostu Paulo (e não eu) prova que “as letra da Bibla mata”. Essa é a ‘arma’ que falei que tem matado muita gente .  Discordêncio ergue a mão, pedindo a palavra:

- Por favor, está havendo um grande equívoco aqui. A interpretação do texto citado, foi  feita de maneira totalmente errada. Feriu as regras da hermenêutica bíblica!

- Hermeu...O que?  Tá vendo, essi aqui “as letra” já matou-lo todinho.  Interrompe Demêncio,  visivelmente irritado.

- Morto está você! Não sei o que vim fazer aqui... Desabafa Discordêncio. O “debate” segue sem sucesso. As trocas de insultos entre Demêncio, Discordêncio e Fan Átika tomam proporções inimagináveis... Os demais só permanecem em silêncio... Até que, de repente, Farisêncio toma a palavra:

- Meus irmãos amados, vamos viver em paz! Todos nós temos direito de pensarmos diferente. Não importa, nosso Supremo Pai ama a todos. Bem... Daqui a pouco, terei que me retirar porque tenho que “ungir” amanhã, novos “apóstolos”, “sacerdotes” e “sacerdotisas” em outro estado do nosso país.  De repente o telefone de Eloquêncio toca, que avidamente atende:

- Alô! Oh, abençoado... É de Deus! Eu estava pensado em você... E aí, quando vou pregar na sua igreja? Como? Três noites? Faço um preço camarada, ‘coisa de crente’... Cada noite são 2 mil. Olha... Estou numa reunião, depois te ligo.

Cristiano Orto, que até o momento estava calado, pede a palavra:

- Meus caros irmãos, principalmente você, irmão Demêncio, estou aqui porque quero ser útil em alguma coisa. Vejo que não chegamos a lugar algum agindo assim, com essas discussões infindáveis.  A Bíblia é um instrumento de aprendizagem, conforme diz o apóstolo Paulo na sua II carta a Timóteo, capítulo 3, versículos 14 a 17. O que encontramos neste texto  é que o cristão precisa unir a aprendizagem  com o crescimento  espiritual. Esse crescimento é o que chamamos de maturidade.  Paulo também nos diz que a aproximação da Palavra nos torna sábio, e que , estudando-a, nos tornamos habilitados (capacitados) para o desenvolvimento do nosso ministério (serviço) no Reino de Deus.

Todos permanecem em silêncio, Cristiano Orto continua:

- O texto que o nosso irmão Demêncio nos trouxe (II Coríntios 3.6), dizendo que a “letra mata”, quero esclarecer que não são as ‘letras da Bíblia’ que matam, mas a força da Lei que veio através de Moisés e que condenava a todos, conforme o versículo 7, do mesmo texto que Paulo chama de “ministério da morte”, contrastando com o “ministério do Espírito”, como expõe o versículo 8.

- Bem, aconselho a todos vocês a lerem e estudarem o capítulo 3 (II Coríntios), para entenderem todo o texto, e não apenas um versículo, para não criarem pretextos, fora do contexto. Deus abençoe a todos! Tenho que ir.
Todos saíram sem argumentos, inclusive Demêncio.

Dário José, criador de Demêncio e demais personagens (Copyright)






Sola Scriptura!

2 comentários:

  1. Pr. Dário quero parabenizá-lo pelos escritos, tenho acompanhado e aprendido muito.
    Quando vai lançar uma revista ou um livro com estórias de seus personágens?
    Um abraço e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  2. esse é meu pastor Deus continue vos abençoando muito bom

    ResponderExcluir