quarta-feira, 11 de abril de 2012

Um combate histórico - Primeira Parte



Dário José

No Jardim do Éden, Satanás se utilizando da serpente, deturpou a mensagem de Deus dada ao primeiro casal (Gênesis 2.4; 3.3-5), ocasionando a queda de toda raça humana (Romanos 3.23; 5.12).

Quando Deus escolheu a nação de Israel para ser luz entre as nações (Isaías 42.6; 49.6; Salmos 96.3; Atos 13.47), deixou claro e explícito que não queria sua contaminação com os costumes religiosos dos povos da terra que iria possuir, mas que deveria guiar-se única e exclusivamente pela revelação da sua Palavra (Josué 23.5-7; 24.20).

Nos tempos de Jesus também havia uma pluralidade religiosa. Entre os grupos religiosos mais conhecidos, se destacavam os saduceus (Atos 5.17) e os fariseus (Atos 15.5), que tinham entre si conceitos diferentes de fé (Atos 23.8). O Senhor Jesus os confrontou duramente (Mateus 23.13,15,33). Jesus anunciou e profetizou o surgimento de falsos cristos e falsos profetas, que viriam em seu nome e enganariam a muitos (Mateus 24.5;7.15).

Nos primeiros séculos da Igreja Primitiva, os apóstolos João, Pedro, Paulo, Tiago, Judas combateram tenazmente os falsos ensinos, oriundos tanto do Judaísmo legalista e conservador, como de heresias primitivas, que se infiltravam no meio dos fiéis: I João 2.18-29; 4.1-6; II João 7-11; II Pedro 3.14-18; Romanos 1.18-32; II Coríntios 11.3-5; Gálatas1.6-14; Efésios 6.10-20; Filipenses 3.2-11,17-21; Colossenses 2.8-19; I Tessalonicenses 4.13-18; II Tessalonicenses 2.1-6; I Timóteo 1.18-20; 4.1-5;6.3-16; II Timóteo 2.14-19;3.1-9; Tito 1.10-16; Tiago 1.19-27; Judas 3,4,11-23). O conteúdo doutrinário usado pelos apóstolos para refutar os heréticos e sectários foi a mensagem do Evangelho de Cristo (Atos 2.42; Romanos 1.16).

As heresias dos primeiros cinco séculos da era cristã comprovaram a veracidade das predições do Senhor Jesus, afinal de contas, Ele mesmo disse que os frutos dos falsos profetas seriam visíveis, querendo dizer que a sua Igreja poderia identificá-los (Mateus 7.16-23). E esses frutos podem ser éticos, morais e doutrinários.

Da origem a expansão, a Igreja do Senhor Jesus além de viver em meio à pluralidade de religiões, filosofias e conceitos, enfrenta também "perigoso, famigerado e falso Evangelho da Prosperidade". O nosso combate não é contra pessoas, mas contra o mundo espiritual, e, só revestido da armadura de Deus, poderemos lograr vitórias (I Coríntios  6.7; 10.4; Efésios 6.10-18). E por trás dessa batalha está a “antiga serpente”, o Diabo, que desde o princípio continua rastejando e espalhando seu veneno (Gênesis 3.1; I Coríntios 11.3). Mas, já está vaticinada a sua completa derrota (Romanos 16.20; I Coríntios 15.22-28; Apocalipse 20.2,3,7-10). Mas, enquanto estamos aqui na terra, o combate continua! 

Sola Fide!

Nenhum comentário:

Postar um comentário