quarta-feira, 2 de maio de 2012

Síndromes na liderança eclesiástica (2)



Dário José

Transferir é o mesmo que “passar para outra pessoa aquilo que é da nossa responsabilidade”.  Os que revelam a “Síndrome de Adão”, diante da confrontação de alguma falha, nunca assumem seus erros, mas sempre transferem a culpa a outro(os). Veja alguns líderes na Bíblia que agiram assim:

  •  Adão (que dá título a este post), pai da raça humana, que ao ser confrontado por Deus, transferiu a culpa da desobediência para Eva, sua mulher, que por sua vez, transferiu para a serpente (o Diabo) – Gênesis 3.9-13;
  • Havia entre o povo de Israel um falso provérbio acerca do "pecado hereditário",  transmitido dos pais aos filhos. Porém,  o profeta Ezequiel deixou claro, seguindo a orientação de Deus, que cada um responde pelos seus próprios atos - Ezequiel 18.1-4;
  • Arão, futuro sumo sacerdote de Israel, diante a demora de Moisés no Monte Sinai, acossado pela multidão, confeccionou um bezerro de ouro e quando foi confrontado, culpou o povo - Êxodo 32.1-35;
  • Saul, o primeiro rei de Israel, que por desobediência, não esperou o profeta Samuel para o sacrifício, e quando foi arguido pelo homem de Deus, transferiu a culpa ao povo pela sua precipitação - I Samuel  13.8-14;15.1-35;
  • Pilatos, governador romano da Judeia, por motivos políticos, deixou Jesus ser crucificado, lavando as mãos como se quisesse transferir a culpa aos judeus – Mateus 27.11-26;
  • Na parábola dos talentos, um recebeu cinco, outro dois e um terceiro, apenas um. Este último, que recebeu um talento, tentou legitimar sua negligência de não multiplicar o que recebera, acusando o seu senhor de severidade - Mateus 25.14-30.

     A Palavra de Deus ainda nos diz em Naum 1.3:


"O Senhor é tardio em irar-se, mas grande em poder e jamais inocenta o culpado; o Senhor tem o seu caminho na tormenta e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés".

     Sola Scripturas!


Nenhum comentário:

Postar um comentário