segunda-feira, 7 de maio de 2012

Síndromes na liderança eclesiástica (3)



Dário José

A inveja é um sentimento de tristeza que se apodera de alguém, por não ter o que o outro possui. Este sentimento gera o desejo de ter exatamente o que a outra pessoa tem: coisas materiais, posição (status), qualidades, capacidade etc. Não confundamos inveja  com cobiça .  A primeira é querer ter o que o outro tem, a segunda é querer tirar do outro o que ele tem.

Vejamos alguns exemplos bíblicos de inveja (e de cobiça) na liderança:

  • Caim (que dar título a este post), filho do primeiro casal, Adão e Eva, foi o primeiro agricultor. Foi também o primeiro fratricida, matando o seu irmão por pura inveja, pois Jeová recebera o culto do seu irmão Abel, mas rejeitara o seu. Caim foi deposto da presença de Deus – Gênesis 4.1-16;
  • José, invejado pelos irmãos, sofreu e quase perdeu a vida. Mas Deus o colocou como governador do Egito, e os seus irmãos, sob o seu comando – Gênesis 37- 50; Atos 7.9,10;
  • Corá, Dotã e Abirão, tiveram inveja de Moisés e Arão, conspirando contra eles. Mas Deus agiu, concedendo-lhes um fim trágico – Números 16.1-35; Salmos 106.16-18; 
  • Saul, por invejar Davi, tentou matá-lo várias vezes. Seu final foi triste: se matou com a própria arma – I Samuel 18.6-15, 25-30; 19.8-17, etc.; 31.1-6;
  • Sambalate, Tobias e Gessém, por inveja de Neemias, quiseram atralhar a reconstrução dos muros de Jerusalém. Seus planos, um a um, foram frustrados – Nemias 4.1-23; 6.1-14;
  • Simão, o mágico, que “parecia” convertido ao evangelho de Cristo através da pregação apostólica, desejou, por inveja, comprar o “dom” de Deus com dinheiro. Foi repreendido severamente pelo apóstolo Pedro – Atos 8.9-24.
Sola Deo Gloria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário