sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Contradições



Dário José

Há quem vê, mas não enxerga.

Há quem chora com os olhos, mas não chora com a alma.

Há quem pregue Bíblia, mas não prega a sua real mensagem. 

Há quem "respire" santidade, mas não "transpira" piedade.

Há quem diga Não, quando dizer Não, não quer.

Há quem se ajoelha e não ora, mas há quem ora sem se ajoelhar.

Há religioso piedoso, mas não há piedade religiosa.

Há cicatrizes silenciosas na epiderme, há cicatrizes n’alma que grita alto.

Há presos que estão soltos, há livres que estão presos.

Há noites sem lua, mas sem sol não há dia.

Há pobres enriquecidos, há ricos na miséria.

Há mãos que acariciam, há carícias sem mãos.

Há água que mata a sede, há sede que água não mata.

Há gritos silenciosos, há silêncio que grita.

Há pais que não criam, mas não há crias sem pais.

Há dúvidas não respondidas, há respostas que geram dúvidas.

Há relógios para marcar as horas, há horas que relógios não marcam.

Há farol que aponta o caminho, há caminho que leva ao farol.

Há frases que dizem tudo, há livros que nada dizem.

Há datas que devem ser lembradas, há outras impossíveis de serem esquecidas.

Há amigos que são irmãos, há irmãos que nunca exercitarão uma real amizade.

Há didática nos sofrimentos, mas nenhum ensino nos prepara o suficiente para sofrer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário