quinta-feira, 22 de novembro de 2012

A maioria sempre tem razão?



Dário José

Razão: capacidade mental que leva o ser humano chegar a certas conclusões baseadas em suposições (conjecturas, hipóteses) ou premissas (conclusões).

O uso da razão leva alguém a defender aquilo que entende como a verdade. Mas o que é a verdade? Aquilo que é ou existe iniludivelmente. Conformidade das coisas com o conceito que a mente forma delas. Concepção clara de uma realidade. Algo real e exato.

Verdade absoluta significa algo comprovado, empírico como a mistura do vermelho com o amarelo certamente resultará em cor laranja. E verdade relativa é racional, como afirmações que podem ser comprovadas ou não dependendo do ponto de vista de cada indivíduo.

Deus não é o homem

De Deus tem-se a Verdade Absoluta, dos homens a verdade relativa (Romanos 3.4);

Deus não se engana, o coração do homem se equivoca (I Samuel 16.7;Jeremias 17.9,10);

Deus não mente, o homem é tendencioso a falsidade (Números 23.19);

Deus não dorme, o homem até “ronca” (Salmos 121.4; Provérbios 6.9-11);

Deus não é de confusão, o homem intromete-se em balbúrdias (I Coríntios 14.33; Tiago 3.16).

A maioria sem Deus de nada vale, Deus sem a maioria é Autossuficiente! Há uma expressão proverbial, em latim, que diz “Vox populi, Vox dei”, que traduzindo seria “A voz do povo [é] a voz de Deus”. A voz do povo é simplesmente a voz da massa, porém, a voz de Deus faz toda a diferença! 

A voz de Deus é firmada nos seus Atributos Absolutos (incomunicáveis), tais como Perfeição, Eternidade, Imutabilidade, Veracidade, Onisciência, Onipresença, Onipotência, Equidade, Soberania, etc.

Exemplos negativos

Segue abaixo alguns exemplos da maioria equivocada, que por não aceitar a Verdade, “lograram êxito temporário”:

O povo e Arão.  O povo aproveitando a ausência de Moisés convenceu Arão a levantar um ídolo, trocando-o por Jeová que os libertara do Egito (Êxodo 32.1-35);

O povo e Samuel.  O povo rejeitou o governo teocrático de Deus e o seu profeta, Samuel (I Samuel 8.1-22; 10.17,23-25);

O povo e Saul. O mesmo povo que pedira um rei, agora o persuade a não cumprir a vontade de Deus (I Samuel 13.8,11;15.9,15,21,24);

O povo e Jesus (o Messias).  O povo trocou Jesus por Barrabás (Mateus 27.15-26).

Exemplos positivos

Vejamos alguns exemplos bíblicos de uma “minoria” que, por abraçar a vontade e a Verdade de Deus, sobrepujaram a maioria envolvida com sua verdade relativa:

Micaías. Nos prova que é melhor ser um solitário profeta com a mensagem de Deus, do que pertencer à maioria de bajuladores com mensagem de demônios (I Reis 18);

Sadraque, Mesaque e Abdnego. Nos confirma que é melhor serem três que entram na fornalha ardente com fé, do que ser da maioria que se curvam diante da fria idolatria (Daniel 3);

Davi. Nos ensina que é melhor ser “o menor” de funda na mão vendo Deus, do que ser a maioria com espadas, que só conseguem vê o gigante (I Samuel 17);

Noé e família. Nos adverte que é melhor serem oito que constroem uma arca, crendo no que nunca viram, do que se juntar a maioria que festejam em volta do que só conseguem “enxergar” (Gênesis 6-8);

José. Nos faz pensar que é melhor perder tudo confiando nos sonhos dados por Deus, do que ser a maioria que terão seus “ganhos” transformados em “pesadelos” (Gênesis 37; 45);

Os 12 apóstolos. Nos deixa a lição de que é melhor pertencer aos poucos que têm fome e sede de Deus, do que somar com a maioria que apenas buscam o alimento que perece (João 6.22-69).
A matemática é uma ciência exata. Dois mais dois são quatro, e isso é verdade absoluta. Mas, se digo que um mais um é igual a três, essa "minha verdade" é relativa, fruto do meu raciocínio e pode ser questionada.

Portanto, é preferível ficar com Deus, mesmo que sejamos a minoria. Devemos procurar seguir a sua Verdade, que é Absoluta e não relativa. Devemos andar nessa Verdade (João 14.6), pois só Ele é cheio de Verdade (João 1.14,17). Só a sua Verdade liberta radicalmente o homem das suas ”prisões” pessoais (João 8.32), e o leva a ser guiado pelo Espírito da Verdade (João 14.17; 15.26; 16.13). Sua Verdade nos santifica (João 17.17,19), pois quem pratica essa Verdade se aproxima da Luz (João 3.21). Para adorá-LO, só através dessa Verdade (João 4.23,24).

Lembre-se: a maioria, pouquíssimas vezes, tem razão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário