terça-feira, 20 de novembro de 2012

Teocentrismo. O que é isso?



 Dário José

“Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!” Romanos 11.36 (ARA)

“Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória pois a ele eternamente. Amém.” Romanos 11.36 (ARC)

Vivemos na era do antropocentrismo, pois tentam colocar o homem como alvo e centro de tudo. Consequentemente, também vivenciamos a crise da transloucada tentativa de tirar de Deus a centralidade de todas as coisas. O Teocentrismo percebe, entende, reconhece, compreende, enxerga, vislumbra, aponta e ver claramente que Deus é o Centro de tudo. Deus não é "um grande", Ele é o Único em Grandeza. O Senhor não tem rival nem sucessor (Is 43.11-13).

Retrato do antropocentrismo hodierno, onde o homem procura ser o centro de tudo

O apóstolo Paulo faz uma séria advertência sobre os últimos dias, revelando-nos um quadro terrível do comportamento humano, que busca a glória para si (II Timóteo 3.1-5). Ele  aconselha-nos a se afastar de pessoas que são:

Egoístas (amantes de si mesmos) – alguém que busca seu próprio interesse;
Avarentos – alguém que ama o dinheiro;
Jactanciosos (presunçosos) – alguém pretensioso, ostentador;
Arrogantes (soberbos) – alguém que se eleva acima dos outros;
Blasfemadores (blasfemos) – alguém que fala mal, difama, injuria;
Desobedientes aos pais – alguém insubmisso aos pais;
Ingratos – alguém desprezível, mal agradecido;
Irreverentes (profanos) – alguém ímpio, mau;
Desafeiçoados (sem afeto natural) – alguém insociável;
Implacáveis (irreconciliáveis) – alguém que não se deixa persuadir, não negocia;
Caluniadores – alguém dado à calúnia, que acusa com falsidade;
Sem domínio de si (incontinentes) – alguém sem controle próprio;
Cruéis – alguém não domesticado, selvagem, feroz;
Inimigos do bem (sem amor para com os bons) – alguém que se opõe à bondade;
Traidores – alguém que entrega outro nas mãos do inimigo: sedutor;
Atrevidos (obstinados) – alguém precipitado;
Enfatuados (orgulhosos) – alguém que fica cego com o próprio orgulho;
Mais amigos dos prazeres (deleites) que amigos de Deus.

Então, o apóstolo Paulo nos diz algo estarrecedor. Ele diz que os que assim agem não são os que estão entregues ao pecado, no mundo, mas os que se dizem cristãos, pois “tendo forma (aparência) de piedade, negam, entretanto, o poder (eficácia) dessa falsa vida de santidade”. Esse é o retrato exacerbado do antropocentrismo, que permeia o “arraial dos santos” nos dias atuais.
As Escrituras Sagradas revelam Deus com o Único digno de louvor e adoração, Criador e Mantedor de todas as coisas. O Superhomem é fruto da imaginação antropocêntrica de alguém e é o alterego de quem o criou.

A Centralidade de Deus

O mesmo apóstolo, Paulo, escrevendo aos cristãos de Roma, em um momento de êxtase espiritual, nos brinda com uma pequena, mas profunda doxologia (hino de glorificação a Deus). Ele nos fala de cinco verdades concernente àquEle que deve ser o ÚNICO alvo da nossa adoração (Romanos 11.36):

Porque dEle – indica origem (fonte) do nosso louvor. Ele é Criador e Mantenedor de tudo (João 1.1-5, 10; Hebreus 1.1-4).  Nunca devemos esquecer que tudo o que é bom, vem dEle  (Tiago 1.17,18).

Por meio dEle – indica a intermediação do nosso louvor - Jesus. Só por meio dEle, oferecemos sacrifícios de Louvor a Deus (Hebreus 13.15).

E para Ele – indica o foco do nosso louvor. Só para Deus, e mais ninguém, seja todo o nosso louvor (Filipenses 2.5-10).

São todas as coisas – indica a extensão do nosso louvor. Tudo que realizarmos deve ser para atingirmos e alcançarmos amplamente a Ele (I Coríntios 8.6; Colossenses 1.18).

A ele, pois a glória eternamente. Amém! – indica a intensidade do nosso louvor. O grau e a elevação do nosso louvor devem ser unicamente para a glória de Deus (Isaías 42.8; I Coríntios 10.23,31).

Nenhum comentário:

Postar um comentário