sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Morreu o homem. E as suas obras?



Dário José

Morreu ontem (05/12)com 104 anos, às 21h55, o arquiteto brasileiro de nome mais influente na Arquitetura Moderna, Oscar Niemeyer (1907-2012). Suas obras estão espalhadas por todo Brasil e pelo mundo. Entre elas, o Palácio da Alvorada (DF), edifício Copan (SP), Sambódromo (RJ), Conjunto da Pampulha (MG), etc.


Niemeyer, que era ateu e comunista, parte para a eternidade deixando suas belas e monumentais obras. Tudo que deixou pode ser visto e são tangíveis. Mas há outras obras invisíveis e desconhecidas da maioria, que o seguirá  até a eternidade.


“Então, ouvi uma voz do céu, dizendo: Escreve: Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham”. Apocalipse 14.13 (ARA - grifos nosso)


“Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros”. Ap 20.12 (ARA – grifo nossos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário