quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Declinações sobre o narcisista



Dário José

Narcisismo é um comportamento visto pela psicologia como um transtorno da personalidade, onde o indivíduo demonstra um padrão invasivo de grandiosidade, tem necessidade de ser admirado e não consegue desenvolver por ninguém empatia (capacidade de se identificar com o próximo, presumindo sentir o que este está sentindo).

Na língua portuguesa existem os homônimos – que são palavras iguais na forma e diferentes no significado. Há três tipos de homônimos: 1 - homônimos perfeitos –  tem a mesma grafia  e o mesmo som: cedo (de manhã) e cedo (do verbo ceder); 2 -  homônimos homófonos – têm o mesmo som mas grafias diferentes: sessão (reunião) e seção (repartição); 3 – homônimos homógrafos: sede (ê) (vontade de beber água) e sede (é) (um edifício).

Há também os parônimos, que são palavras de significação diferente, mas de forma parecida e semelhante. Exemplo: cela (aposento) e sela (arreio para animal).

Abaixo temos uma pequena reflexão que “brinca” com essas palavras (homônimas e parônimas), aplicando-as à pessoa que tem o comportamento narcisista.

O narcisista

Por vivermos na era do “descartável”, a proliferação de narcisistas é até profética (II Timóteo 3.1-5). O Narcisista enxerga o seu semelhante como objeto [1], e na relação interpessoal do dia a dia, o seu próximo não passa de mero abjeto [2]. Quem tem esse comportamento imoral [3], excessivamente se gaba e ri de suas “estórias” e piadas sujas, pois em relação a tudo que é justo,  santo e puro, já se tornou amoral [4].

Não obstante ser fato e notório as evidências de suas falhas, o narcisista não retifica [5] esses erros que maculam o seu caráter, e, ainda tenta ratificar [6] sua omissão com desculpas infundadas. Começa a “caçar[7], como a bandidos, os que confrontam suas faltas e discordam de seu modus vivendi, buscando cassar [8] paulatinamente os direitos desses “antagonistas de plantão”.

Na busca desenfreada para ascender [9] a altos cargos e posições que geram poder, recursos e status, o narcisista não terá dificuldades em acender [10], sem pestanejar, o “pavio da bomba” que destruirá a reputação de “um inocente”, levando-o a “assumir” o seu lugar de culpado. O comprimento [11] da sua arrogância é imensurável. Por outro lado, o seu falso cumprimento [12] quando lisonjeia alguém, buscando ganhos e vantagens não tem como aquilatar.

O narcisista é um destruidor de sonhos, projetos e visões alheias. Se perceber que alguém tem talentos, elevado potencial, dons e atributos, procurará “descobrir” potenciais defeitos, para poder desqualificar essa pessoa, eclipsando suas qualidades. Busca levantar sempre um novo censo [13], desejoso de provar e comprovar os seus feitos. Se autoelogia com prolixos discursos, perde a compostura e o bom senso [14]. Dele sempre vai emergir [15] o marketig pessoal e imergir [16] a humildade e submissão.

O narcisista na “escola da vida” sempre se ver docente [17], nunca se percebe discente [18]. Ao criticar alguém, usa seus “argumentos” como laço [19] de artimanha, pois na realidade é covarde e lasso [20]. Por mais que tente, nunca será eminente [21], a sua frente há um grande  e iminente [22] precipício.  

[1] Objeto – coisa material

[2] Abjeto – algo indigno e desprezível

[3] Imoral - contra a moral, libertino, devasso

[4] Amoral - indiferente à moral

[5] Retificar – consertar, reparar, corrigir

[6] Ratificar – confirmar, comprovar, corroborar, aprovar

[7] Caçar – perseguir para apanhar vivo ou matar

[8] Cassar – anular, cancelar, invalidar

[9] Ascender - subir

[10] Acender - atear fogo

[11] Comprimento - extensão

[12] Cumprimento - saudação

[13] Censo - recenseamento

[14] Senso - juízo

[15] Emergir - vir à tona

[16] Imergir - mergulhar

[17] Discente - relativo a alunos

[18] Docente - relativo a professores

[19] Laço - laçada

[20] Lasso - cansado, frouxo

[21] Eminente - nobre, alto, excelente

[22] Iminente - prestes a acontecer










Um comentário:

  1. Achei pensava que o narcisista não era tão mal assim, que ele apenas se auto-elogiava ou se gabava de suas qualidades é certo que as pessoas serem assim não é tão simples, mas é mais profundo que pensava.

    ResponderExcluir