terça-feira, 19 de março de 2013

O orgulho pode ser um precipício?





Dário José

Vamos começar este post fazendo uma pergunta: existe orgulho positivo e orgulho negativo?

Antes de responder a pergunta, vamos divagar um pouco em volta do tema com outras perguntas: ver a bandeira americana (em alguma cena) de praticamente todos os filmes feitos nos EUA é orgulho patriótico? Os pais que se orgulham do filho que passou no vestibular ou que ganhou medalha numa competição esportiva, esse seu sentimento é positivo ou negativo? E os ativistas que tremulam seus estandartes multicores estão certos ou equivocados do seu orgulho gay?Adesivos grudados em carros com seguintes os dizeres: “Orgulho de ser católico”, “Orgulho de ser evangélico”, “Orgulho de ser espírita”, etc., fazem ou não sentido?


Diferenciando o positivo do negativo

O orgulho negativo. É orgulho demasiado, que é o conceito muito elevado que alguém faz de si mesmo, acompanhado de desprezo pelos outros. É o que soa como altivez, amor-próprio exagerado, empáfia, bazófia, soberba, ufania. É o orgulho que é excessivo e pode se transformar em vaidade, ostentação, soberba, cujo oposto é a humildade.

Quem desenvolve esse sentimento e atitude negativa, tem como característica não se submeter a ninguém, não aceitar estar errado, não encarar os fatos.  Considerado pelo catolicismo como um dos sete pecados capitais, o orgulho é um sentimento de satisfação por alguma coisa, algum fato ou alguma qualidade.

O orgulho positivo. Sendo um sentimento interior, mas que externamos pelas atitudes e pelas palavras, o orgulho pode ser usada de maneira sábia e ponderada, tornando-se uma virtude. Quando nos valorizamos a nós mesmos, nem mais nem menos, mas de maneira justa naquilo que somos e naquilo fazemos, isso é bom e até importante para manter a auto-estima saudável, e estimula o crescimento pessoal. Quem assim age, tanto valoriza a si próprio como as demais pessoas. É o amor próprio, pois só podemos amar o próximo se amarmos a nós mesmos (Deuteronômio 6.4,5; Marcos 12.30,31). Esse orgulho não é contrário a humildade, mas caminha paralelamente com ela.

O orgulho não trabalhado e não vigiado, gera frustrações a arrependimentos futuros, pois leva o indivíduo a um mundo de imaginação e prepotência sem fim.

“O orgulho dos pequenos consiste em falar sempre de si próprios; o dos grandes em nunca falar de si.” Voltaire

“O orgulho é a fonte de todas as fraquezas, por que é a fonte de todos os vícios.” Agostinho

“O orgulho devora a si mesmo.” William Shakespeare


O orgulho à luz da Bíblia

A pessoa orgulhosa, que se vê sábia aos próprios olhos (Provérbios 3.7), está prestes a “cair” num “precipício” e “morrer”. Vejamos algumas referências sobre o orgulho negativo e nocivo:

“Não multipliqueis palavras de orgulho, nem saiam coisas arrogantes da vossa boca;  porque o Senhor é o Deus da sabedoria  e pesa todos os feitos na balança.” II Samuel 2.3
 
“Olhar altivo e coração orgulhoso, a lâmpada dos perversos, são pecado.” Provérbios 21.

“Tende o mesmo sentimento uns para com os outros; em lugar de serdes orgulhosos, condescendei com o que é humilde; não sejais sábios aos vossos próprios olhos.” Romanos 12.16 

“Exorta aos ricos do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza, mas em Deus, que tudo nos proporciona ricamente para nosso aprazimento;” I Timóteo 6.17

“Rogo igualmente aos jovens: sede submissos aos que são mais velhos; outrossim, no trato de uns com os outros, cingi-vos todos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, contudo, aos humildes concede a sua graça.”

“Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte,” I Pedro 5.5,6

Que Deus nos ajude a vigiarmos os nossos sentimentos constantemente. Se não tivermos capacidade de detectarmos o que está dentro de nós, peçamos a sua ajuda como fez o rei Davi: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” (Salmos 139.23,24).

Nenhum comentário:

Postar um comentário