quinta-feira, 9 de maio de 2013

Os insensíveis buscam os insensatos!



Dário José

A insensibilidade se manifesta visivelmente a todos. Sua ação sempre causa mal estar. Mas o que é insensibilidade? É ser privado de sensibilidade, ser apático, ser indiferente, ser duro. A insensibilidade gera parvoíces. 

O insensato é alguém desprovido do senso e da razão, pessoa tola, que o que lhe falta em inteligência, sobra em idiotice.

Quando pessoas executam erradamente certas tarefas, em alguma área (quer na vida secular quer na vida eclesiástica), eis as perguntas que se ouve comumente: “Quem colocou fulano para fazer isso?”, “Houve a orientação de Deus na indicação de sicrano para exercer tal atividade?”, “Por que será que beltrano, mesmo sem nenhuma capacidade, lidera tal departamento?”. 

Alguém só assume alguma posição de liderança ou executa algum trabalho quando indicado e referendado pelo seu superior.  Se erros e desacertos são cometidos, a culpa é de quem indicou e colocou o tal em evidência, pois há uma máxima que diz: “Não se pode reclamar do que se consente”. 

Veja o que a Bíblia diz sobre o erro de honrar o insensato:

"Como a neve no verão e como a chuva na ceifa,  assim, a honra não convém ao insensato". Provérbios 26.1

"Como o que atira pedra preciosa num montão de ruínas,  assim é o que dá honra ao insensato". Provérbios 26.8

É perigosíssimo honrar a quem Deus despreza e desprezar a quem Ele honra  (I Samuel 15.30,31,34,35; 16.6,7,11-13).

Na realidade ambos são insensíveis. É insensível quem indica alguém indevidamente para o exercício de algum cargo, sem fazer caso do paradigma divino de escolha (I Timóteo 3.1-13; 5.17,18 22). E, é insensível também quem, não tendo consciência da própria incapacidade, diz “sim” sem pestanejar, quando convocado para fazer o que não faz parte da sua chamada (Provérbios 14.8,16,33).

“A insensibilidade cega os corações dos homens fazendo-os caminhar para o abismo sem que eles o percebam...” Paulo Cuba

Insistir em manter um neófito, que não foi chamado por Deus, no “lugar” de quem de fato  foi escolhido pelo Senhor, só porque é seu pupilo,  é perigoso! Numa linguagem popular, é o mesmo que “dar um tiro no próprio pé” e conforme a Bíblia é o mesmo que “recalcitrar” (dar coices contra a ponta do ferrão), ou seja, confrontar e resistir os propósitos de Deus.

“Os lábios do justo apascentam a muitos, mas, por falta de senso, morrem os tolos” (Provérbios 10.21).

“Nas palavras do sábio há favor, mas ao tolo os seus lábios devoram” (Eclesiastes 10.12).

Onde há procura, há ofertas. De um lado temos os insensíveis à soberana vontade Deus, buscando os insensatos, pois através deles desenvolverá seus “sórdidos planos”. Do outro lado, os insensatos buscam agradar servilmente os seus líderes insensíveis, pois através deles galgará status e elevadas posições, mesmo que não tenha dom, chamada, talento ou vocação. O fim de ambos fica por conta da imaginação de cada um.

Oh! Deus tenha misericórdia de nós!

3 comentários:

  1. Excelente postagem! Infelizmente temos visto muitos desses exemplos, prejudicando qualquer instituição, seja ela secular ou a própria igreja. Pessoas erradas ocupando posições importantes! Oremos para que Jesus nos dê sabedoria. Pois assim, realizaremos melhores escolhas.
    Deus o abençoe Pr Dário!

    ResponderExcluir