terça-feira, 20 de agosto de 2013

Tempo é dinheiro ou templo atrai dinheiro?



Dário José


Confusões na Liderança Eclesiástica – 1ª Parte 

Não confunda: “Tempo é dinheiro” com “templo atrai dinheiro”. Essa primeira frase é bem conhecida de todos, principalmente no “mundo dos negócios”. Quando se perde tempo, em investimentos e transações comerciais, perdem-se recursos financeiros, acarretando sérios prejuízos. 

O trocadilho “tempo” por “templo” é proposital, pois na “visão” de certos líderes religiosos da atualidade (certos pastores, bispos, apóstolos, ungidos, profetas, etc.), quanto mais templos abrir (funcionar), mais renda se terá. Tais líderes, se parecem mais com gestores, empresários, promoters do que com pastores de almas. Estes não “montam” templos para cuidarem de ovelhas, mas para pescarem em “aquários alheios” (Romanos 15.20,21). Na realidade são mercenários que apascentam a si mesmos (João 10.1, 10-13; I Pedro 5.1-4; Atos 20.28-30; Judas 12).

Quanto ao tempo? Deve-se “gastá-lo” com critérios, inteligência e cuidado (Eclesiastes 3.1-8; 9.7-10; Efésios 5.16,18). Na visão de Deus, tempo não é dinheiro, mas oportunidade (Hebreus 6.7-9)!

Um comentário:

  1. No processo de fusões e aquisições, um dataroom virtual é criado como parte do repositório central de dados sobre empresas ou divisões que se estão adquirindo ou vendendo.

    ResponderExcluir