segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Vivendo no luxo, mas produzindo lixo


Dário José

A sociedade hodierna em que vivemos é marcada ferrenhamente, entre tantas outras coisas, pelo consumismo e o exibicionismo. O lixo de uma pessoa diz “muito” sobre o que ela “coloca para dentro”.  E o luxo? Ah! O luxo reflete o que ela “coloca para fora”. 

Explicando melhor: os resíduos e detritos “jogados no lixo” é o que consumimos, já a ostentação e a pompa “expostas no luxo” é o que postulamos.  Somos muito mais que gestos, palavras, estética e trejeitos. Na realidade o que somos é o que alojamos no nosso interior. Tanto na execração do lixo como na ostentação de luxo, o que se revela externamente é o que está dentro do nosso coração, da nossa alma (Mateus 15.17-19; Jeremias 17.9-11). A nossa alma pode estar sã ou doente.

Luxo e Lixo


Emprego as palavras luxo e lixo com a seguinte significação: Luxo - qualquer coisa dispendiosa ou de difícil obtenção, que agrada aos sentidos sem ser uma necessidade. Tudo o que é supérfluo. Lixo - restos de cozinha e refugos de toda espécie, como latas vazias e embalagens de mantimentos, que ocorrem em uma casa.  Imundície, sujidade, escória, ralé.

Geralmente quem vive em função do “luxo”, só tem “lixo” para passar. Tudo é visto como descartável (menos o seu luxo). Descartar é livrar-se de pessoas ou coisas desagradáveis ou incômodas. 

Se alguém de valor requer a sua atenção (mas que nada acrescenta ao seu luxo), é sumariamente “descartado”: “Não tenho tempo... Tô apressado... Depois eu vejo isso...” Mas, se outro (mesmo sendo bandido), traz incrementos à sua luxuosa vida, disponibilizará o tempo que for necessário. 

Luxar e lixar


Luxar pode ser sinônimo de ter para se exibir e para mostrar poderio, força, status, proeminência. Quem assim é e age, é oco de valores éticos, morais e espirituais. A somatória do que essa pessoa faz, fala e pensa é simplesmente lixo! Quem é afeito ao luxo é luxento, gente cheia de melindres, cerimônias ou exigências.

Lixar pode ser verbo (transitivo direto), significando desgastar, raspar ou polir com lixa. Na frase "estou pouco me lixando”, a palavra (verbo intransitivo), tem o sentido de gíria, significando indignar-se, amolar-se, sofrer contratempo.  Mas lixar também significa fazer lixo.


Uma alma sadia não produz lixo, pois é isenta de luxo. Uma alma doente, afogada no luxo é pior que um lixão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário