sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Contato político ou conchavo com políticos?


Dário José


Confusões na Liderança Eclesiástica – 2ª Parte

Não se deve fazer confusão com essas duas palavras: contato e conchavo. O que resulta dessa confusão é desastroso em todos os sentidos e proporções.

O que é contato político? Convivência, convívio, relação com indivíduos que exercem cargos públicos, mandatos nos poderes legislativo, executivo, judiciário e/ou eclesiástico.

Mas, o que é conchavo político? O ato de conchavar é o mesmo que acordar, ajustar, unir. Pode ser visto também como conluio, que é combinação entre duas ou mais pessoas, onde muitos saem prejudicados (a grande população que é  prejudicada nas suas necessidades mais rudimentares) e poucos beneficiados (a minoria, um grupo seleto e privilegiado). 

Há líderes que ultrapassam a linha do simples contato, conchavando-se tanto na política partidária como na política eclesiástica, torna-se “presos” e "presas" do sistema (I Timóteo 3.2; Tito 1.6,7). 

Há lugares (e púlpitos) onde os políticos são mais honrados e respeitados do que os obreiros que labutam na obra do Senhor, e que, segundo a palavra de Deus merecem duplicada honra (I Timóteo 5.17,18). Às vezes, os políticos “assediados” e “paparicados” nem são cristãos, mas são considerados “amigos da igreja”. 

E sobre o contato? O Senhor Jesus tinha, entre seus discípulos alguns políticos como José de Arimateia e Nicodemos com quem mantinha contato, mas nunca buscou ter vantagens com os tais (Mateus 27.57-60; Marcos 15.43; João 3.1-15; 19.38,39).  

Quem lidera o rebanho do Sumo Pastor, deve exercitar a “política da boa vizinhança” com todos em sociedade; conviver bem, com respeito mútuo e pacificamente. Isso não é opção, mas determinação bíblica (Romanos 13.1-7). Mas, só isso!

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Crise!




Dário José

A crise (do grego κρίσις - krisis) é qualquer evento que é, ou deverá levar a uma situação instável e perigosa que afeta um indivíduo, grupo, comunidade ou sociedade inteira. A crise é um momento crítico. As crises podem afetar pessoas nas áreas de segurança, economia, política, religião, etc.

A crise pode ser conceituada como uma situação em que o indivíduo experimenta mudança na área biológica, psicológica e social, exigindo de uma pessoa ou de um grupo, esforço suplementar para manter o equilíbrio ou estabilidade emocional. Numa crise poderá haver perdas, ganhos e/ou rápidas substituições.

A crise pode tanto gerar decadência como ser resultante da própria decadência. Dependendo da situação, a crise pode ser professora ou carrasca, didática ou devastadora; aponta para uma saída ou para a ruína, sinalizar vitória ou derrota.

As crises podem se avizinhar lentamente deixando alguns sinais ou pode ocorrer de forma abrupta, com pouco ou nenhum aviso. A crise que pode atrofiar ou matar alguns, por outro lado, poderá fazer crescer e fortalecer a outros.

Há crise para nascer e crise para crescer; há crise de sobrevivência, crise de envelhecimento e há a crise da morte que se avizinha. Há crise de identidade, há crise financeira e há crise de personalidade. Há crise de conduta (caráter) e crise de fé (teológica, hinológica, litúrgica, eclesiástica).

Às vezes enfrentamos crises. Em outros momentos, somos  geradores de crises. Mas, muitas vezes, nos transformamos na própria crise.



segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Às vezes...



Dário José
 
Às vezes perder é ganhar e ganhar é se perder!

Às vezes “subir” traz precipícios e “descer” soa como vitória!

Às vezes a fama mata a alma e o anonimato a mantém viva!

Às vezes a riqueza empobrece e na pobreza há  farta nobreza !

Às vezes a arrogância se veste de humilde e o verdadeiro humilde não veste trapos!

Às vezes o silêncio tem som retumbante e o falar de nada vale!

Às vezes o culpado parece inocente e o singelo morre sem culpa!

Às vezes o certo é visto como errado e erros crassos são aplaudidos!

Às vezes o consentimento é visto com cautela e a precaução é tida como um  insulto!

Às vezes o lisonjeiro é tido como amigo e a verdadeira amizade é desprezada!

Às vezes a mentira soa como verdade e os sinceros não têm vez nem voz!

Às vezes a crise traz aprendizado e a zona de conforto produz estagnação!

Às vezes os insubmissos posam de mocinhos e os heróis apenas cumprem suas tarefa

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Descansarei!


Descansar em Deus? É possível? Sim, é possível quando O conhecemos.


“O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente” 
Salmos 91.1

Assista ao vídeo abaixo: