segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Pedra, vidraça ou redoma?



Dário José


Diz-nos um empoeirado provérbio chinês:

“É muito fácil ser pedra, o difícil é ser vidraça”.

A pedra, com sua estrutura e solidez,

Atirada ao vidro, simplesmente o despedaça!


Há quem outrora se comportava como um duro seixo,
Buscando “vidros” para reduzi-las em pedaços.

Mas ao tornar-se “vidraça”, não é de “cair o queixo”?

O comportamento destes transforma-se em cadafalso.


“Quem tem telhado de vidro não atira pedras no do vizinho”,
É o que diz outro provérbio popular, de origem portuguesa.

No comportamento, se mostra afável, tolerante e “bonzinho”,

Para não levantar sentimentos contrários e de rudeza.


O telhado de vidro é frágil, mesmo que aparente consistência,
Eis a razão do medo de quem tem sobre a cabeça tal cobertura.

Por ter culpa, suporta a falha alheia com forçada paciência,

Temendo ser alvo de pedradas que possam rachar sua estrutura.


Há quem diga: “Vou ficar numa redoma de vidro e me proteger”,
Indiferente, alheio e isento de qualquer posicionamento.

Diz “não sou pedra e sobre minha cabeça não há o que temer”,

Mas são inverdades que não condiz com seus reais intentos.


Ei! Estamos de fato aprendendo com Jesus, nosso Mestre amado?
Que com uma mulher adúltera, tanto usou a graça como a verdade.

Tendo um caráter transparente, não jogou pedras quando tentado,

Nem tão pouco silenciou se “blindando em redoma de neutralidade”.





Nenhum comentário:

Postar um comentário