segunda-feira, 3 de novembro de 2014

As imagens falam a verdade?

Dário José

Não somos o que pensamos de nós mesmos, pois o que pensamos pode ser fruto de uma “leitura” distorcida do nosso próprio coração adoecido e inflado pelo egoísmo (Jeremias 17.5,9,10). Tampouco, somos o que as outras pessoas possam dizer de nós, pois se por um ângulo, podemos ser alvo de antipatias, juízos temerários (precipitados), calúnias, preconceitos (Mateus 7.1,2), por outro ângulo, podemos ser vistos pela “imagem falsa que montamos” de nós mesmos, na tentativa de mantermos a reputação que “teatralizamos” (Mateus 6.2,5,16; 23.27). Mas, o que somos realmente é o que Deus sabe ao nosso respeito. E Ele sabe tudo (Salmos 139; Lucas 16.15; Apocalipse 3.15)!

Quando exponho a imagem do que realmente sou interiormente, poderei até ser julgado pelo que não sou. Mesmo sofrendo pela censura que fazem de mim externamente, repousará na minha alma a tranquilidade de estar sob o olhar daquEle que perscruta tudo e sabe quem realmente sou (I Coríntios 3.1-5).

Quando a imagem de quem realmente sou revela pecados, e é flagrada e exposta a todos, a atitude mais nobre e sensata é confessar diante dos homens e de Deus, alcançando sua misericórdia, mesmo tendo que sofrer as consequências dos próprios atos (II Samuel 12.1-13;Salmos 51.1-4). Mas, se  tentar “trabalhar a minha desgastada imagem”, buscando provar o improvável, corro risco de ser rejeitado pelo Senhor (I Samuel 15.10-31).

Para os fariseus da sua época e para os que tentam viver uma vida “farisaica” (de mentiras travestidas de verdade) em nossos dias, veja o que diz nosso Senhor:

“Mas Jesus lhes disse: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus conhece o vosso coração; pois aquilo que é elevado entre homens é abominação diante de Deus.  Lucas 16.15  (ARA, grifos nosso).

Conforme o texto acima, quem tenta "maquiar" a verdade e justificar a si mesmo, SEMPRE reputa como elevado (gr) hupselos, aquilo que, na opinião pública,  é visto como alto, eminente, exaltado, e, impelido pelo  “espírito farisaico” busca tudo que tem sinal de poder e influência, pois na ambição da sua mente, coisas superiores geram honras e riquezas. Essa ambição por status (manter a posição, o nome, a condição financeira, etc) leva muitos a tentar justificar o injustificável.

Quem age assim, não consegue enxergar que essa sua atitude é abominação (gr) bdelugma, diante de Deus. E abominação diante do Todo-Poderoso é uma coisa suja, horrível, detestável, que tem afinidade com ídolos e idolatria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário