quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Trivialidade ou essencialidade




Dário José

Precisamos definir nossas escolhas:
Optamos pelas terrenas trivialidades
Ou buscamos do Alto a essencialidade?
Se escolhermos o trivial...
Oh, como teremos uma vida fútil!
Mas, se optarmos pelo essencial,
Nossa existência não terá sido inútil.

Precisamos manter firme a nossa fé:
Seremos traídos pelo “vinho”, com seu aroma e cor
Ou beberemos água insípida, inodora e incolor?
Se os “finos manjares” nos contaminar,
Em Babilônia não seremos preservados.
Mas, se nos “legumes” buscarmos nossa dieta alimentar,
Deixaremos às gerações futuras, história e legado.

Precisamos saber a quem servimos:
Ao Deus Altíssimo, que “mora” na Eternidade
Ou aos deuses da fama, da ganância ou da imoralidade?
“Covas” profundas os inimigos vão sempre preparar,
Só não podem proibir nossa vida de oração.
Mas, se “tramas” conspiratórias não soubermos evitar,
Nosso Deus Altíssimo nos socorre com salvação!

Precisamos de discernimento espiritual:
Buscaremos respostas no “caldeirão” do paganismo sumério,
Ou em Jeová, que aos seus sempre revela os mistérios?
A vida de trivialidades aproxima o homem do mal,
Tornando-o insensível e levando-o agir como ateu.
Mas, só o Criador sabe rebaixá-lo a condição de um animal,
Até que reconheça que Ele está vivo e que é Deus!

Precisamos repensar nossa jornada:
Macularemos nossa biografia optando pelas trivialidades
Ou buscaremos em Deus a essência da nossa santidade?
Em “Babilônia”, o mal nos perseguirá desde a juventude,
E, na velhice, ainda seremos duramente tentados.
Mas, pesando Deus nossos pensamentos, palavras e atitudes,
Em “balança fiel”, seremos por Ele no fim, de fato aprovados?

Nenhum comentário:

Postar um comentário