terça-feira, 27 de outubro de 2015

Cheios ou vazios da Missão de Deus?

Dário José

Qual é a Missão de Deus? E Deus tem uma Missão? Sim! O Deus  Eterno, Criador e Mantenedor de todas as coisas tem uma Missão!

O Cerne da Missão de Deus

Deus, que é transcendente, estando acima do universo e independer dele, também é imanente, pois se humanizou para fazer parte da nossa humanidade, tornando-se gente como a gente, descendo ao nosso nível. O apóstolo João diz que Ele “habitou” entre nós, ou seja, “tabernaculou-se” ou “montou morada (tenda)” entre os homens (João 1.14).

Deus tem uma Missão (em latim, Missio Dei), que poderíamos chamá-la de Projeto Missionário Eterno, onde o testemunho do Cristo vivo, caminhando no meio dos seres humanos é o clímax de sua revelação a todos os pecadores (Hebreus 1.1-14)! A encarnação do Verbo divino é o cerne da Missão de Deus. Ele é Emanuel (hb) “Deus conosco” (Isaías 7.14; Mateus 1.23).

Pessoas vazias da Missão de Deus

O envio dos apóstolos e discípulos ao mundo para, sob a autoridade do alto, discipular e ensinar todas as nações com o evangelho, não é invenção religiosa. É a ideal e a real Missão de Deus!

A Igreja (o Corpo) é enviada e impulsionada a pregar o evangelho, pois assim ela complementa a grande Missão de Deus sobre a terra, seguindo a orientação de Cristo (a Cabeça) e sob a unção do Espírito Santo.

As palavras do Senhor Jesus são de uma simplicidade, mas ao mesmo tempo, as únicas revestidas da maior autoridade: “... assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.” (Mateus 20.21; 28.18-20). Ele que foi enviado pelo Pai ao mundo, simplesmente nos envia no mundo! O mundo aqui não é apenas todas as terras, mas também todos que cruzam o nosso caminho todos os dias.

Só quem entende que Cristo chama, escolhe, vocaciona e envia discípulos ao mundo, se torna plenamente cheio (dominado, persuadido, convencido) da real Missão de Deus. Se não entendermos isso, seremos pessoas vazias e desassociadas da sua Missão.

Púlpitos vazios da Missão de Deus

Atualmente em muitos púlpitos não há mais espaço para se falar da Missão de Deus. Fala-se sobre tudo, menos da sua Missão. Pregadores e/ou ensinadores, nem implicitamente ou por inferência, declinam sobre esse tema que é a mensagem central de toda Bíblia.

O púlpito é lugar exclusivo para se falar da Missão de Deus. Quando de fala sobre qualquer outra coisa, menos sobre Obra Redentora do Cristo encarnado, auto-oferecido em sacrifício eterno, ressuscitado e assunto aos céus, onde está a Missão de Deus?

Prega-se mais sobre como ganhar o máximo de tudo (dinheiro, saúde, bem estar, etc) apenas “barganhando” com Deus, mas não se ensina todo conteúdo do genuíno evangelho de Cristo que leva indivíduos e igrejas a ganharem o maior número de pessoas para Deus.

Prega-se mais sobre os “sete passos” para ser vitorioso nesta ou naquela área, mas não se fala da maior vitória conquistada unicamente pela cruz e pela ressurreição de Jesus.

Prega-se mais sobre como esmagar ou amarar o diabo (antes do tempo bíblico determinado por Deus), mas não se evidencia o valor da obediência à Palavra e a submissão ao Espírito Santo, que nos faz reprimir a prática do pecado e das obras da carne.

Prega-se mais sobre o que “sicrano”, “fulano” e “beltrano” disseram, escreveram, defenderam e postulam em seus tratados teológicos, mas não se atém a transmitir os ensinos simples (porém profundos) do Nazareno sobre amor, autonegação, fé, discipulado, cruz, sofrimento, etc.


Recentemente li uma frase, mais ou menos assim: "Pregue o evangelho com a sua própria vida, porque há pessoas que o único sermão que ouvirão em vida será você".

A Missão vem de Deus e volta para Deus: “Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniquidades deles levará sobre si.” (Isaías 53.11 – grifos nosso).

Nenhum comentário:

Postar um comentário