quarta-feira, 28 de outubro de 2015

O Espírito Santo, o Eterno Impulsionador dos servos de Deus

Dário José

A partir de hoje, publicaremos uma série de estudos bíblicos sobre o Espírito Santo, os dons e o fruto do Espírito. Vejamos neste primeiro post, uma pequena introdução sobre a ação do Espírito Santo no Antigo e no Novo Testamento.

Como o Espírito Santo agia no Antigo Testamento?

Antes da queda – O Espírito Santo agia criando (Gênesis 1.2); gerando vida (Gênesis 2.7; Jó 27.3); mantendo a vida (Jó 33.4; Salmos 104.30). 

Depois da Queda – desde a queda de Adão (Gênesis 3) ao dia de Pentecostes (Atos 2), se Deus queria se comunicar com alguém, Ele colocava Seu Espírito sobre as pessoas que eram alvo do seu propósito, pois o espírito do homem havia se corrompido. 

Eis alguns exemplos daqueles que recebiam do Espírito, mas sob medida: Moisés (Números 11.16,17, 26-30); Gideão (Juízes 6.33,34); Davi (I Samuel 16.13); José (Gênesis 41.38-40); Bezalel e Ooliabe (Êxodo 31.1-11; 35.30-35), etc.

Todos os profetas falaram e agiram sob a égide do Espírito Santo. Deus O colocou sobre eles inspirando e revelando sua vontade (Ezequiel 11.5; Zacarias 7.12; II Pedro 1.19-21).

O Espírito também se retirava sobre a vida dos que desobedeciam. O rei Saul é um exemplo típico da desobediência e resitência ao Espírito de Deus (I Samuel 15.26; 16.14).

Como o Espírito Santo age no Novo Testamento?

No ministério de Jesus.  O Espírito Santo agiu no seu batismo em águas (Mateus 3.13-17); na sua tentação (Mateus 4.1); em todo seu ministério (Isaías 61.1,2; Lucas 4.18,19; Atos 10.38), na sua morte (Hebreus 9.13,14), na sua ressurreição (Romanos 8.11).

 Espírito Santo e o nascimento do alto

Só o Espírito Santo realiza um novo nascimento no homem, pois todos herdaram a pecaminosidade adâmica. O espírito do homem foi corrompido pelo pecado (Romanos 3.23,24), precisando de um novo nascimento, que só é possivel pela ação direta do Espírito Santo (João 3.1-6; I João 5.1; Gálatas 3.26).


(Continua no próximo post).

Nenhum comentário:

Postar um comentário