terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Ser engraçado ou viver com graça?



Dário José

É “sem graça” tentarmos convencer a todos, a todo custo, que estamos sob a graça, quando a suficiência da graça divina esbarra na nossa autossuficiência.

A ausência da graça atrai desgraça. Tal perda, de quem antes desfrutava junto a Deus, é desfavor, desvalimento, revés e infelicidade.

Desgraçado é quem está sem a graça. Não se espante com a palavra desgraçado, pois desgraça é o oposto da graça.

Graça é mais que o “favor imerecido”. O significado é muito mais abrangente. Viver debaixo da graça é saber que nada do que somos, fazemos ou possuímos seria possível se não fosse a mão de Deus sobre nós assistindo-nos graciosamente.

Quando entendemos o real valor da graça não reclamamos, clamamos; não murmuramos, suspiramos; não nos revoltamos contra Deus, mas nos voltamos para Ele!

Deus não tem a obrigação de nos abençoar, mas sempre nos abençoa por sua graça! Quem realmente sabe o que é graça, mesmo quando passa por tribulações, tem condições de louvá-LO.

Na verdade viver sem a graça é andar em zonas de riscos e perigos! A graça de Deus persegue os humildes, mas desvia-se dos autossuficientes!

A graça não nos faz meramente engraçados, mas nos torna felizes! O engraçado diverte e até provoca risos, pois é espirituoso e não há nada de errado nisso. Perigoso é ser engraçado sem a graça!

E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus nos chamou à sua eterna glória, depois de havemos padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoe, confirme, fortifique e estabeleça.

A ele seja a glória e o poderio para todo o sempre. Amém. I Pedro 5.10,11

Nenhum comentário:

Postar um comentário